segunda-feira, 4 de abril de 2016

Mulheres mal comidas

Um amigo fez a seguinte pergunta no Yahoo! Respostas e a resposta que eu dei é a crônica de hoje.

Pergunta: “Não sou bonito, rico, inteligente, engraçado ou coisa parecida, mas já aconteceu de mulheres comprometidas darem mole para mim até com os maridos perambulando pelas redondezas. Algumas chegaram ao cúmulo de flertarem comigo com o esposo do lado (quase a coisa ficou feia!). As mulheres solteiras parecem ter uma verdadeira alergia a mim, mas se a dona é casada, já me olha diferente. Parece até uma magia, uma atração fatal ou algo inexplicável que exerço sobre muitas delas. Como eu tenho princípios éticos bem definidos e detesto encrenca para o meu lado, fujo da maioria, mas a minoria que se joga em meus braços insiste em achar que o par de chifres na cabeça do marido é bem merecido. Por que será que os homens casados não honram o que têm em casa? Será que sou sempre eu que tenho que resolver o problema, hein?”.
E aí eu respondi:
“Ser marido é um emprego em tempo integral. É por isso que tantos maridos fracassam: não conseguem dedicar a isso toda a sua atenção. E assim são as mulheres: antes de se casar, querem que o marido seja um gênio. Depois que se casam, querem que seja um idiota. Há mulheres que são assim: se suspeitam do marido, têm-lhe ódio; se não suspeitam, têm-lhe asco. A liberdade de amar não é menos sagrada que a liberdade de pensar. O que hoje se chama adultério há muito tempo se chamou heresia.
“Nada do que escrevi desse ponto para trás é de minha autoria. São frases catadas que mostram muito sobre as realidades antes e depois do casamento. Mas daqui pra frente a opinião é minha.
“O casamento fornece o pior dos ópios. O sexo fácil. Sexo tem que ser difícil. Mesmo no casamento, embora seja fácil para o homem fazer sexo com a própria mulher, ainda é mais difícil que para ela. Ela nem precisa mandar, pedir ou sugerir. Só dá uma olhadinha e já estamos peladões, lavados, cheirosos e eretos para o sexo.
“Elas ainda alegam uma dor de cabeça, uma TPM, etc. Mas quando encontram outro homem, com quem fica mais difícil de concretizar o sexo adúltero, que tem mais sabor e taquicardia, se insinuam desarvoradamente e ao lado do próprio marido mesmo que, na maioria das vezes, como eu, é um bundão que nem nota. Eu não creio que as mulheres sejam mal amadas ou carentes. Eu acho que elas são é mal comidas.
“Têm um certo pudor em dizer ao marido "soca esse trem aí e me mata de tesão", coisa que diz com prazer ao amante. A esposa se sente na necessidade de um comportamento marital burro. O marido também. Afinal o que o marido pode pensar dela, né? E se ele perguntar "onde foi que você aprendeu essas coisas?". E se elas disserem "vai fazer isso com as vagabundas da tua laia", onde enfiamos a cara?
“Então, por segurança, sonham com um sexo selvagem, mas praticam um burocrático "papai&mamãe", salvo as honrosas exceções que já foram excluídas na própria pergunta. Por outro lado os homens gostam de sexo, mas nem todos têm grande atração para fazer acrobacias e, uma vez ejaculados, somos mesmo imprestáveis. O homem tem seu valor sexual proporcional à sua capacidade de retardar seu orgasmo ao mesmo passo que consegue provocar vários na parceira.
“Ser homem é muito difícil sexualmente. Com a mesma mulher e por anos a fio, mais difícil ainda. Então transar com o marido é um porre. Já, se for com um outro homem, sabe-se lá a fantasia que se cria? Eu já fui muito assediado por mulheres que me achavam fantástico para descobrirem logo que, depois de pouco tempo, nos nivelamos sempre por baixo. Marido é que nem fogo. Tem que ficar atiçando o tempo todo.
“Terminando, eu sugiro aos casais que busquem todas as virtudes morais em seus parceiros, mas casem com pessoas que sejam sexualmente imorais e selvagens, sem pudores ou limites. Nunca esperem jamais mudar o outro depois do casamento. Arranjem as coisas sempre antes. Tem que ser um homem honesto, trabalhador, cumpridor dos seus deveres de cidadão e pai de família, até mesmo um patriota e civilizado pagador de impostos. E vice-versa. Mas na hora que chega na cama se transformam, ambos, em “depravados” atletas sexuais que jamais ousarão perguntar "onde foi que você aprendeu isso". Sempre pensarão e dirão, "que legal que você sabe fazer isso".
“Um casal deve ir junto a uma locadora e juntos chamar o "mocinho", arrastar para a seção pornô e pedir que indique um filme que realmente surpreenda. Eles sempre sabem indicar pois vivem disso. Há poucos dias escrevi que filme pornô é chato e monótono, pois sempre se faz a mesma seqüência 1, 2, 3 e 4 e uma ejaculação facial, mas já vi cenas, no sentido de fazer coisas fora do roteiro, que exemplica bem o que estou tentando explicar.
“Assim como os filmes pornôs, o casamento também é uma monotonia de cenas 1, 2, 3 e 4, sem ejaculações faciais, mas é possível surpreender. Só é necessário que se queira, que se tenha liberdade e que não corra o risco de, bem na melhor parte, o imbecil do outro vir perguntar "onde foi que você aprendeu isso?".
“Eu, se fosse mulher, diria na lata. "Com o Zé Caparica. Esse sim é um macho arrasador e não um burocrata como você!!!".
Fonte: http://www.zecaparica.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário