segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

09 Aulas de Gestão Estratégica



Lição número 01:
O peru estava batendo papo com o touro.
 – "Eu adoraria ser capaz de chegar ao topo daquela árvore", suspirou o peru, "mas não tenho força..."
 – "Ora," replicou o touro, "por que você não come um pouco do meu esterco? Ele tem muitos nutrientes".
 
O peru bicou um pedaço de esterco e verificou que realmente isso lhe dava a força necessária para chegar ao primeiro galho de árvore. No dia seguinte, depois de comer mais uns bons nacos de esterco, ele chegou ao segundo galho. Finalmente depois de duas semanas, comendo esterco de boi, de búfalo, das zebras, ele estava orgulhosamente empoleirado no alto da árvore. Imediatamente foi visto por um fazendeiro que atirou nele...

MORAL DA HISTÓRIA:
Qualquer bosta pode levar você ao topo, mas não manterá você lá. 

Lição número 02: 
Quando o corpo foi criado, todas as partes queriam ser chefe. O cérebro foi logo dizendo:
 – Eu deveria ser o chefe, porque controlo todas as respostas e funções do corpo.
 Os pés disseram:
 – Nós deveríamos ser o chefe, porque carregamos cérebro para onde ele quiser ir.
 As mãos disseram:
 – Nós é que deveríamos ser o chefe, porque fazemos todo trabalho e ganhamos o dinheiro.
 E assim foi com o coração, pulmões, olhos, até que chegou a vez de o cu falar. Todas as partes riram do cu por querer ser o chefe. E foi daí que ele entrou em greve, bloqueou-se e recusou-se a trabalhar..
Em pouco tempo os olhos ficaram vesgos, as mãos crisparam, os pés se retorceram, o coração e os pulmões entraram em pânico e o cérebro teve febre. No final todos, concordaram, e o cu passou a ser o chefe. Todas as outras partes, então, faziam seu trabalho, e o chefe ficava sentado e deixava a merda passar!

MORAL DA HISTÓRIA:
Você não precisa de cérebro para poder ser um chefe; qualquer cuzão pode ser.
 
Lição número 03:
Era uma vez um pardal cansado da vida..... Um dia, resolveu sair voando pelo mundo em busca de aventura. Voou até chegar numa região extremamente fria e foi ficando gelado até não poder mais voar e caiu na neve. Uma vaca, vendo o pobre pardal naquela situação, resolveu ajudá-lo e cagou em cima dele. Ao sentir-se aquecido e confortável, o pardal começou a cantar. Um gato ouviu o seu canto e foi até lá, retirou-o da merda e o comeu.....

MORAL DA HISTÓRIA:
1)Nem sempre aquele que caga em cima de você é seu inimigo;
2) Nem sempre quem tira você da merda é seu amigo;
3) Desde que você se sinta quente e confortável, mesmo que esteja na merda, conserve seu bico fechado

Lição número 04:
Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair e está se enxugando. A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta a mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas. Quando ela abre a porta, vê o vizinho Nestor em pé na soleira. Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Nestor diz:
- Eu lhe dou 3.000 reais se você deixar cair esta toalha!
Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua. Nestor então entrega a ela os 3.000 reais prometidos e vai embora. Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e volta para o quarto. Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro:
- Quem era?
- Era o Nestor, o vizinho da casa ao lado, diz ela.
- Ótimo! Ele lhe deu os 3.000 reais que estava me devendo?
MORAL DA HISTÓRIA:
Se você compartilha informações a tempo, você pode prevenir exposições desnecessárias.

Lição número 05:
Um padre está dirigindo por uma estrada quando um vê uma freira em pé no acostamento. Ele para e oferece uma carona que a freira aceita. Ela entra no carro, cruza as pernas revelando suas lindas pernas. O padre se descontrola e quase bate com o carro. Depois de conseguir controlar o carro e evitar um acidente ele não resiste e coloca a mão na perna da freira. A freira olha para ele e diz:
- Padre , lembre-se do Salmo 129!
O padre sem graça se desculpa:
- Desculpe Irmã, a carne é fraca... E tira a mão da perna da freira.
Mais uma vez a freira diz:
- Padre , lembre-se do Salmo 129!
Chegando ao seu destino a freira agradece e, com um sorriso enigmático, desce do carro e entra no convento. Assim que chega à igreja o padre corre para as Escrituras para ler o Salmo 129, que diz:
' Vá em frente, persista, mais acima encontrarás a glória do paraíso'.
MORAL DA HISTÓRIA:
Se você não está bem informado sobre o seu trabalho, você pode perder excelentes oportunidades.

Lição número 06:
Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua encontram uma antiga lâmpada a óleo. Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um gênio. O gênio diz:
- Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês!
- Eu primeiro, eu primeiro. - grita um dos funcionários...
- Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida. - .... Pufff e ele foi .
O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:
- Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de pina coladas! ... Puff e ele se foi .
- Agora você - diz o gênio para o gerente.
- Eu quero aqueles dois de volta ao escritório logo depois do almoço para uma reunião!
MORAL DA HISTÓRIA:
Deixe sempre o seu chefe falar primeiro.

Lição número 07:
Na África todas as manhãs o veadinho acorda sabendo que deverá conseguir correr mais do que o leão se quiser se manter vivo. Todas as manhãs o leão acorda sabendo que deverá correr mais que o veadinho se não quiser morrer de fome.
MORAL DA HISTÓRIA:
Não faz diferença se você é veadinho ou leão, quando o sol nascer você tem que começar a correr.

Lição número 08:
Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada. Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta:
- Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?
O corvo responde:
- Claro, porque não?
O coelho senta no chão embaixo da árvore e relaxa. De repente uma raposa aparece e come o coelho.
MORAL DA HISTÓRIA:
Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar sentado muito, muito alto

Lição número 09:
Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas. No caminho ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas que provavelmente invadiram suas terras. Ao se aproximar lentamente, observa várias belas garotas nuas se banhando na lagoa, quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam:
- Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora. O fazendeiro responde:
- Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés!
MORAL DA HISTÓRIA:
A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos mais rapidamente.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Avaliação do Desempenho Funcional



A.D.F. (AVALIAÇÃO DO DESEMPENHO FUNCIONAL) nada mais é do que uma forma “coxinha” de dizer que vc foi notado procrastinando demais no ambiente, que você não está puxando o saco devidamente, está puxando o saco errado ou fez algum comentário indecoroso no banheiro e por capricho do destino, seu Chefe estava cagando usando o sanitário naquele momento catastrófico.
A avaliação consiste em analisar diversos itens da sua medíocre rotina, as notas vão de 0 a 3, onde os puxas sacos e alguns protegidos recebem 3, os demais 2,5 e quem trabalha, rala e se ferra, recebe, com ressalvas, um ultrajante 2 seguido do breve comentário:

"Notei algumas deficiências, e digo isso como seu amigo, afinal somos uma equipe, uma família, e quero que você melhore seu desempenho. Você tem que ser mais proativo, interagir mais com seus colegas, procurar buscar mais!(mais serviço, é óbvio). *momento em que seu chefe, cita exemplos vexatórios de como desempenhaste suas atividades, segundo ele, mal e porcamente.*
Temos exemplos aqui mesmo, (história motivacional clichê, do curso mequetrefe de Recursos Humanos que o abestado fez por correspondência) Fulano e Ciclano que hoje são nossos diretores, sentaram nessa mesma cadeira que você! (Imaginamos que o fabricante da cadeira deverá sentir-se orgulhoso, caso venha a ter ciência deste relevante fato. rsrs). Quero poder te dar um 3 (como se fosse verdade) na próxima avaliação! Estamos de acordo, assim?”

E antes que você tenha tempo de elaborar sequer um pensamento que não seja palavras de baixo calão, ouve ainda:

"Agora, pode voltar ao trabalho. Peça por favor, para o Beltrano entrar. Obrigado!"

As notas 0 e 1 são para justificar casos de demissão. 

NOTA: Por pura e simples camaradagem, o Chefe sempre recebe do Chefe dele nota 3.

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

Confraternização de fim de ano no trabalho



É chegado o final de mais um ano, e com ele, confraternizações, troca de presentes e afins. As empresas promovem tradicionalmente uma festa de confraternização visando alguns objetivos. Gostaria de acreditar que você não é estúpido, para acreditar que uma empresa, conglomerado etc, vai gastar tempo e dinheiro visando somente momentos de diversão para os colaboradores. Aliás, acho que o termo “colaborador”, é uma forma de intrujar na sua mente a idéia que você faz parte de algo maior, afinal, ficaria feio chamar-te de “pau mandado”. 
Pense nisso: Independente do cargo que ocupa na empresa, você é pau mandado de alguém.

Ao contrário de você, que enxerga a confraternização de final de ano, como uma boca-livre às custas do patrão, as empresas visam diversos objetivos e não precisa procurar muito na rede para notar que existem fórmulas e receitas para uma festa de sucesso.

As empresas, vêem a ocasião como uma forma de investir nos profissionais, que ocasionalmente podem estar desmotivados e passam a não render o suficiente, ou seja, o teu patrão acha que enchendo teu rabo de cerveja barata e carne de segunda, você tende a ser grato pelo rega-bofe, e dessa forma, vai melhorar o desempenho.

Ao contrário do ambiente de trabalho, seja ele qual for, a famigerada festa é a melhor forma de analisar o comportamento de cada colaborador, e quem sabe até rascunhar a lista de demissão para o ano vindouro.

Existe ainda, especialistas que primeiro levantam qual é o público-alvo a ser atingido (no caso, você), depois elaboram um projeto estratégico para dar forma à confraternização, visando sempre o fortalecimento da imagem da empresa. Após essa fase, é efetuada a divulgação por meio de newsletters, e-mail marketing, ou o popular A4 afixado no quadro de avisos, paredes e outros locais estratégicos, com a missão de SEDUZIR o colaborador a participar da confraternização.

Baseado em puro bom senso, vamos listar alguns itens que certamente fará com que você queime o filme durante o rega-bofe.

- Encher o pote, entornar a carroça, travar as bielas, ficar bêbado etc:
Bêbado é chato, e além disso, vão te zoar e você vai ficar muito puto(a) e histérico(a) quando isso acontecer. Sendo assim, não dê trabalho.

- Comer como um refugiado faminto:
Não tem problema algum em repetir o prato, desde que você não aja como um esfomeado que nunca viu comida. E mais, melhor calar a boca e não soltar a pérola “nem almocei hoje, pra caber mais”.

- Dançar de maneira chamativa: 
Ô bicho sem noção, é festa de empresa, você não está no meio dos seus machos para dançar na boquinha da garrafa, funk, ou tentar subir na mesa para fazer um  “streap-tease”. Deixe de ser vadia e comporte-se.

- Usar trajes provocantes ou que não combinam com a ocasião:
Não é porque você está fora da empresa que vai se vestir como a pessoa sem noção que é. Ninguém quer ver sua transparência e nem o tênis verde limão que tu compraste.
- Quanto ao Amigo Oculto:
*Devido a extrema complexidade, este tópico terá um post específico que você confere no link abaixo:
http://www.saturnopiloto.com.br/2015/12/amigo-secretooculto.html

 - Puxar o saco da Chefia:
Em toda evento sempre aparece aquele sujeito bêbado, chato, sem noção que vive a babar os ovos do chefe, da diretoria etc, para no dia seguinte, alardear aos quatro ventos que é "amigo" do chefe. Pode apostar que este tipo de "colaborador" sente-se bem em aparecer como "papagaio de pirata" da chefia, o que faz dele um completo cretino, leva e traz, puxa saco e outros adjetivos depreciativos.

- Levar assuntos de trabalho para a festa:
Pode apostar que você não será bem visto ao fazer uma cagada dessa.

- Carregar a porra do enfeite da mesa:
Coisa típica de pobre, levar o enfeite da mesa, um joguinho de talher e se bobear, toalhas, copos e cinzeiros. 

- Falar mal dos presentes ou do evento:
Fique calado, pode apostar que sua opinião não importa a ninguém, tão pouco você dirá algo relevante sobre o que quer que seja. Lembre-se que “calado és um herói!

- Arrumar briga:
Como você é totalmente desprovido de bom senso, é provável que arrume confusão por qualquer motivo idiota, prejudicando a todos que serão convidados a retirar-se do ambiente encerrando assim a festa.

Esperamos ter ajudado com as considerações acima, e estamos torcendo para que você não queime o filme, de novo...

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

Amigo Secreto/Oculto



“Amigo secreto, Amigo Oculto, amigo X, ou também amigo invisível é uma brincadeira tradicional das festas de fim de ano (Natal e Ano-Novo). É comum entre colegas de trabalho, de escolas, e de familiares. Acredita-se que a brincadeira venha dos povos nórdicos. Amigo secreto - Um ritual nórdico.”
Fonte: Wikipédia

Acredito que a mal fadada brincadeira, além de uma coisa sem graça, é apenas mais uma forma de avaliação, seja por seu chefe ou mesmo por seus familiares, pode ter a certeza que alguém estará avaliando-o. Calculo que não é nenhuma novidade para você leitor, dizer que eu corro do famigerado evento como o Diabo corre da Cruz. Importante lembrar que, o uso indiscriminado de adjetivos pejorativos durante a entrega de presentes, poderá culminar em motim e briga generalizada.

Como realizar o evento:
O nome daqueles que participarão é escrita em um pedaço de papel e na seqüência sorteados um a um. Cada pessoa tem que presentear o nome por ele sorteado e a graça (se é que existe) é que ninguém saiba quem você irá presentear.
Geralmente é estipulado um valor máximo para o presente, a fim de se conseguir uma certa igualdade no quesito. Na momento da entrega a pessoa cita (supostas) qualidades de quem ele irá presentear, afim de que os demais consigam adivinhar que é o "sortudo" (obviamente é permitido mentir, dissimular etc. O que vale a pena é o "teatro".)

Algumas dicas para você não queimar o filme novamente:

O presente que você vai ganhar será sempre inferior ao presente que você vai dar:
Não importa o que você comprou, o seu presente sempre será inferior, o motivo pode ser atribuído a Lei de Murphy, por exemplo. Não importa, faça cara de paisagem e finja que gostou da bugiganga que ganhou e ainda diga que ela será muito útil. Minta!

Sempre alguém que você não gosta tira você no sorteio:
Especialistas dizem que você deve estar no clima da confraternização, portanto é importante não deixar transparecer sua insatisfação para com a pessoa, mesmo que você tenha o desejo de matá-la. Sendo assim, sorria! E deixe a vingança para depois...

Se a mulher que você tirou é feia:
Na hora de entregar o presente e citar as supostas qualidades da pessoa, cuidado com adjetivos pejorativos, além do mais não é nenhum pouco elegante dizer que a mulher é feia. O que você pode fazer, por uma questão de educação é dizer que a donzela (mulheres feias mantém o cabaço por mais tempo) é muito peculiar e possui uma beleza exótica. E sim, você terá que posar para a foto, abraçadinho. Tá no inferno, abrace o Capeta, jovem...

Se a pessoa é gorda:
É importante não utilizar aumentativos como “amigão, grande mulher etc”. As vezes a pessoa é sensível e chora facilmente, ainda mais se a comida acabar rápido. Rsrs

Tirei o Chefe:
Nada de comprar algo acima do valor estipulado, afinal ele ganha mais que você, portanto tem dinheiro. Sem contar que este é o sujeito que lhe chicoteia o ano todo, lembrando desta informação, nada de presentes explosivos, infectantes etc. Compre algo que combine com o hobby do sujeito, chefes geralmente tem um., descubra qual é.

O que falar na hora de descrever o “amigo”:
Não precisa ser especialista para dizer que você deve falar somente características positivas, evitar detalhes físicos e adjetivos pejorativos, como canalha, cretino, idiota, puxa-saco, infiel, corno, brocha etc.
Trocadilhos também devem ser esquecidos, uma vez que, com seu diminuído bom senso, é provável que consiga criar uma situação constrangedora.
Resumindo, quando você for falar, MINTA!

E tem gente que acha isso divertido...fazer o que, né?