domingo, 23 de fevereiro de 2014

Medo do Mundial



12 Páginas de uma Revista Francesa (France Football) que resumem o Brasil em todos os sentidos:

Quero ver ler isso e não sentir vergonha...

- Apesar do lema brasileiro: “Ordem e Progresso”, o que menos se vê na preparação deste mundial, é Ordem ou Progresso.
- A FIFA não pediu o Brasil para sediar a Copa, foi o Brasil que procurou a FIFA e fez a proposta.
- A corrupção no Brasil é endêmica, do povo ao governo.
- A burocracia é cultural, tudo precisa ser carimbado, gerando milhões para os Cartórios.
- Tudo se desenvolve a base de propinas.
- Todo o alto escalão do governo Lula está preso por corrupção, mas os artistas e grande parte da população acham que eles são honestos, e fazem campanhas para recolher dinheiro para eles.
- Hoje, tudo que acontece de errado no Brasil, a culpa é da FIFA, antes era dos EUA, já foi de Portugal, o brasileiro não tem culpa de nada.
- O Brasileiro dá mais importância ao futebol do que à política.
- O Brasileiro elege jogadores de futebol para cargos públicos.
- Romário (ex-Barcelona) é hoje deputado. Aproveita o descontentamento com a Copa para se auto-promover, mas nunca apresentou um projeto de lei sobre saúde ou educação. Sua meta é dar ingresso da Copa para pobre(como se essa fosse a prioridade para um pobre brasileiro)
- O Deputado mais votado do Brasil é um palhaço analfabeto e banguela, que faz uma dança ridícula, com roupas igualmente ridículas, e seu bordão é: “pior que está não fica”. Será?
- Em uma das músicas deste palhaço analfabeto ele diz: “Ele é ladrão mas é meu amigo!”, Isso traduz bem o espírito do Brasileiro. (http://letras.mus.br/tiririca/176533/


 
)
- Brasileiros se identificam com analfabetos.
- A carga tributária do Brasil é altíssima maior que a da França, e os serviços públicos são péssimos comparáveis aos do Congo.
- Mas o Brasileiro médio pensa que ele mora na Suíça. Quem está lá, na verdade, é a FIFA.
- Há um dito popular que diz que “Deus é brasileiro”.
- A FIFA, como imagem institucional, busca não associar-se a ditaduras. Tanto que excluiu a África do Sul na época do Aparthaid e, ao contrário do COI, recusou a candidatura da China, apesar das ótimas condições que o país oferecia. Mas o Brasil, sede da Copa, vive um caso de amor com ditaduras.
- O Brasil pleiteava uma cadeira no Conselho de Segurança da ONU, para sentar-se ao lado França, mas devido ao seu alinhamento com ditaduras, a França já se manifestou contrariamente.
- A Presidente Brasileira parece estar alienada da realidade e diz que será o melhor mundial de todos os tempos, isso, melhor que o do Japão, dos EUA, da França, da Alemanha. (http://www.youtube.com/watch?v=urmR5fXMJu8
- Só ela pensa assim, na FIFA se fala em maior erro estratégico da história da Instituição.

CONFRONTOS:

- Ano passado os brasileiros saíram as ruas para manifestar, pela primeira vez se viu um movimento assim num país acostumado a inércia, mas o Governo disse que eles eram baderneiros e reprimiu o movimento com violência. 2 mortos, mais de 2000 feridos, mais de 2000 prisões. Ninguém responsabilizado...
- Há um movimento chamado “Black Blocs” que ameaça revidar a violência do Governo.
- Há um # hastag que já foi repetido mais de 500.000.000 de vezes em redes sociais e ameaça #naovaitercopa
- Os próprios brasileiros pedem para os estrangeiros não irem para o Brasil. Há milhares de vídeos feitos por brasileiros neste sentido: (http://www.youtube.com/watch?v=0A-mFVEE7Ng)
- O governo brasileiro acaba de gastar 400milhões de Euros com compras de armas para a polícia e disse estar disposto a colocar o exército na rua para proteger a Copa contra os…. Brasileiros (???) Isso mesmo, o governo está ameaçando seu próprio povo.
- Há um movimento de alguns jogadores de futebol, liderado pelo ídolo do Lyon (França) Juninho Pernambucano, chamado “Bom Senso”, pedindo conscientização dos jogadores.
- Analisando os países sedes desde 1970, o número de mortes em estádios, nos 16 anos prévios a cada edição da Copa:
›México: (1970): 06 mortes;
›Alemanha (1974): 00 mortes;
›Argentina (1978): 04 mortes;
›Espanha (1982): 00 mortes;
›México (1986): 12 mortes;
›Itália (1990): 00 mortes;
›EUA (1994): 00 mortes;
›França (1998): 00 mortes;
›Japão (2002): 00 mortes;
›Coreia do Sul (2002): 00 mortes;
›Alemanha: (2006): 00 mortes;
›Africa do Sul: (2010): 17 mortes;
›Brasil: (2014): 234 mortes;
(http://www.youtube.com/watch?v=8bn17OLPyOY)

OBRAS:

- O Brasil foi o país que teve mais tempo na história de todos os mundiais para prepará-lo: 7 anos, mas o Brasil é o mais atrasado.
- O Francês Jérome Valcke, secretário geral da FIFA criticou o Brasil pelos atrasos. O governo brasileiro disse que não conversaria mais com Jérome Valcke.
- A França teve apenas 3 anos, e finalizou as obras 1 ano e 2 meses antes.
- A África do Sul teve 5 anos, e terminou com 5 meses de antecedência.
- Há pouco mais de 3 meses da Copa, o Brasil ainda tem que fazer 15% do previsto.
- O custo do “Stade de France” foi de 280 milhões de Euros(o mais caro da França), uma vergonha se comparado ao “Olimpiastadium” sede da final da Copa da Alemanha em 2006, que consumiu menos de 140 milhões de Euros.
- Mas perto do Brasil isso não é nada. Cada estádio custa em média mais de 1/2 bilhão de Euros.
- E o dinheiro sai do bolso do Brasileiro. Tudo é financiado com recursos públicos. Na França tudo foi financiado com recursos privados.
- Mas o custo não é alto porque os trabalhadores recebem muito. Os trabalhadores recebem salários de fome.
- As empreiteiras é que ganham muito e há muita corrupção para os políticos.
- Não há segurança para os trabalhadores, acidentes e mortes são comuns. Na França o número de mortes nas construções foi 0(zero)
- Mesmo com os milhões a mais, os Estádios são ruins.
- Em 2007 o Brasil construiu um estádio para o Panamericano do Rio e homenageou quem???? Um diretor da FIFA, um brasileiro, corrupto para variar: João Havelange! No Brasil corruptos recebem homenagens.
- O estádio era tão ruim que não durou nem 6 anos. Isso mesmo, 6 anos….
- Hoje o estádio está interditado e não recebe mais jogos. Detalhe: custou mais de 150 milhões de Euros(mais do que o Estádio do Olympic de Marseille), e hoje serve de ninho para pombos.
- Na França, os Estádios são multi-uso, servem para competições olímpicas, jogos de Rugby, e são centro de lazer, com lojas e restaurantes e estacionamento nos outros dias da semana. No Brasil são usados só para jogos.
- Em Brasília estão construindo um Estádio para 68.000 pessoas, sendo que o time local está na quarta divisão do campeonato brasileiro e tem média de público de 600 pagantes. Tudo com financiamento público.
- Em São Paulo há 2 estádios, Morumbi e Pacaembú, ao invés de reformá-los, construíram um 3o. estádio, Itaquerão, 23km do centro da cidade e sem metrô até lá.
- O ex-presidente Lula, torcedor do Corinthians, empenhou-se pessoalmente para que construíssem este estádio em vez de reformar um dos outros 2 já existentes.
- Exceto seus correligionários, ninguém acredita que Lula foi movido por amor ao “Timão” .
- Lula é amigo íntimo de Marcelo Bahia, Diretor da Odebrecht, vencedora da licitação. Um reforma custaria menos de 100 milhões de Euros, um novo estádio tinha previsão de custo inicial de 300 milhões de Euros (mas já passou de 500 milhões) um dos mais caros da história da humanidade. Lula e Marcelo são constantemente vistos em caríssimos restaurantes de Paris, tomando bons vinhos franceses. Lula, claro, se declara socialista.
- Este estádio é igualmente ruim, alagamento, péssima infraestrutura, e antes mesmo de inaugurar já caiu, matando funcionários. (http://oglobo.globo.com/esportes/video-mostra-momento-do-acidente-no-itaquerao-10911765
 
)

TRANSPORTES:

- A atual presidente Dilma Rousseff garantiu que faria um trem-bala, nos moldes do TGV Francês, que ligaria 4 cidades-sede: SP-RJ-BH-Brasilia. A promessa está gravada em redes sociais. (http://www.estadao.com.br/noticias/esportes,governo-garante-trem-bala-pronto-ate-a-copa-de-2014,381839,0.htm
 
)
- Em 2009 foram aprovados 13 bilhões de Euros no PAC, uma soma gigantesca de dinheiro, suficiente para construir um TGV de Paris a Cabul no Afeganistão. Nunca se viu um orçamento tão alto.
- Mas o dinheiro desapareceu e nem um único centímetro do TGV brasileiro foi construído.
- Nenhum brasileiro cobra da Dilma a responsabilidade sobre a promessa do trem bala.
- Nenhuma das cidades-sede tem metrô até o Aeroporto.
- O taxis são caríssimos e os taxistas fazem trajetos mais longos com os estrangeiros que não conhecem a cidade.
- Aprenda Português pois os Taxistas não falam nem espanhol, francês não existe. Inglês nem pensar???
- Para os taxistas não há cursos de inglês financiados pelo governo, mas para as prostitutas sim. Parece piada, mas é verdade: (http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2013/01/1211528-prostitutas-de-bh-tem-aulas-gratis-de-ingles-para-se-preparar-para-a-copa.shtml
 
)
- É assim que o Brasil está se preparando para receber os turistas, ensinando inglês para as prostitutas. Pergunte se há um programa assim para policiais???
- Metrôs não funcionam bem, não cobre nem 10% das cidades ou simplesmente não existem.
- Os ônibus são precários, com muitos atrasos.
- O sistema de ônibus é complicadíssimo e ineficiente.
- Diariamente os ônibus são atacados por gangues que lhes ateiam fogo sob ordem de criminosos ou simplesmente para protestar.
- Às vezes não dá tempo do passageiro sair correndo e morre carbonizado.
- Ninguém é preso, mas as autoridades dizem: “estamos investigando…”
- O aeroporto da Megalópolis São Paulo tem uma capacidade de receber vôos inferior ao Aeroporto da pequena cidade de Orly, no interior da França.
- Os preços de passagens de aviões dispararam. Por um trajeto de 400km chegam a cobrar 1.000Euros durante a copa.
- Como o Brasil não tem infraestrutura, não aproveitará a alta demanda, devendo permitir que empresas aéreas estrangeiras atuem durante a Copa, o lucro virá para a Europa ou os EUA.
- Aluguel de carros é caríssimo, e, como disse um ex-presidente brasileiro, Fernando Collor, também afastado por corrupção, os carros brasileiros são carroças, sem os principais itens de segurança.
- Muito cuidado ao dirigir, o trânsito é uma selvageria. Sinalização, quando existe, é exclusivamente em português.
- Ônibus lotados a toda velocidade, dividem faixas com carroças, mendigos que puxam carros de ferro-velho, motoqueiros cruzando faixas sem sinalizar, pessoas xingando, engarrafamentos de horas. Em São Paulo chega a passar de 300km de engarrafamento, dentro da cidade, o maior da humanidade.
- Faixa de pedestre não serve para nada, não espere que os carros parem. Atropelam, matam e fogem.
- Não tente andar de bicicleta, será atropelado ou roubado.
- As estradas estão caindo aos pedaços, sem sinalização e o número de mortes em acidentes de trânsito em 2008 foi de 57.166, na França, 399, ou seja, quase 15.000% a mais de mortes, e levando em conta que no Brasil não há acidentes por neve ou gelo na pista.
- Apesar do Brasil ser autossuficiente em petróleo e estar do lado de países da OPEP, como Venezuela e Equador, a gasolina uma das mais caras do mundo, e de péssima qualidade, misturada com etanol e solvente de borracha, não há fiscalização nos postos.
- Mas o Brasileiro defende o monopólio do petróleo. É o único país do mundo onde os consumidores acham que o monopólio é bom para o consumidor, e não para o monopolista.
- Não existe transporte fluvial, apesar de ser o país com mais rios no mundo. O Brasil deveria investir em barcos, todo ano as cidades alagam. (http://www.youtube.com/watch?v=aNHnPUcZOFA)
- As autoridades dizem que foram pegas de surpresa!
- Não há transporte por trens.

SAÚDE:

- Reze para não ter problemas de saúde enquanto estiver alí.
- Vacina contra febre amarela é recomendada.
- Use repelentes, no Brasil ainda há pessoas morrendo com dengue, malária ou doença de chagas, já erradicadas na França no século XVIII.
- Faça um seguro de saúde privado antes de ir ao Brasil.
- Médicos privados cobram mais de 100Eurs por consultas de 20minutos.
- Os hospitais públicos são péssimos, comparáveis a zonas de guerra. (http://www.youtube.com/watch?v=cE9znkKV--k)
- Nos últimos 10 anos o número de leitos em hospitais públicos caiu 15%. (http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/em-11-anos-taxa-de-leitos-hospitalares-caiu-15-no-brasil-o-bravateiro-no-entanto-dava-licoes-a-obama-vinda-de-cubanos-serve-para-demonizar-medicos-brasileiros-e-e-projeto-ideologico-dos-paises-do/
 
)
- O Brasil precisa importar médicos de Cuba, já que não tem competência para formar médicos no próprio país. Acredite: Há um programa governamental para isso.
- O Brasil gasta apenas 4% do seu PIB com saúde, e 12% com pagamentos de funcionários públicos. Nos últimos anos o gasto com funcionários cresceu, e com saúde encolheu.
- A França gasta 12% com saúde e 4% com funcionalismo.
- Resultado: Brasil é 72. entre 100 países pesquisados pela OMS, a França 7.
- O craque Zinédine Zidane já era mal visto no Brasil, por ser responsável direto por 2 derrotas humilhantes da “canarinha” em mundiais. Ao saber que o Brasil sediaria a Copa, Zidane afirmou que o Brasil tinha outras prioridades, como a saúde, não os Estádios.
- Ronaldinho Fenômeno rebateu a frase dizendo que “não se faz copa com hospitais”. (http://www.youtube.com/watch?v=uRRoXJQf8f0)
- A frase de Ronaldinho Fenômeno virou hit no Twitter e record e visualizações no youtube.
- O Pelé pediu para os Brasileiros esquecerem os problemas e curtirem a Copa.

HOSPEDAGEM:

- Paris é a cidade mais visitada do mundo, com quase 20 milhões de turistas / ano. São Paulo é menos visitada que a pequena Benidorm na Espanha, ou que a cinza Varsóvia, na Polônia ou a poluída Chenzen na China.
- São Paulo perde para Buenos Aires, Cuzco e outras cidades Sulamericanas.
- Nem no Brasil é a mais visitada. Ninguém faz turismo em São Paulo.
- Amarga o posto 68 na lista das mais visitadas do mundo.
- No entanto, um hotel em São Paulo custa em média 40% mais do que se hospedar em um equivalente hotel em Paris.
- Na época da Copa, um hotel de baixa qualidade em São Paulo chega a pedir 800Euros por noite.
- Os brasileiros não tem hábito de intercambiar casas, alugar sofás ou hospedar pessoas por sites em internet.
- Leve adaptador de tomada. O Brasil adotou um sistema que só existe no Brasil, e muda a cada 4 ou 5 anos, gerando milhões para algumas empresas.

TELECOMUNICAÇÕES:


- Minuto de celular mais caro do mundo. (http://www1.folha.uol.com.br/mercado/2013/10/1352956-minuto-do-celular-no-brasil-e-o-mais-caro-do-mundo.shtml
 
)
- O sinal é péssimo, um dos piores do mundo.
- 4G não existe na maioria das cidades.
- A internet é horrível e caríssima. Para o Brasil chegar aos níveis do Iraque deveria dobrar o investimento em banda larga. (http://veja.abril.com.br/noticia/vida-digital/conexao-de-internet-no-brasil-e-mais-lenta-que-no-iraque-e-cazaquistao
 
)

SEGURANÇA:


- Se você não gostou do que leu até agora, o pior está aqui.
- No Brasil há mais assassinatos que na Palestina, no Afeganistão, Síria e no Iraque JUNTOS.
- No Brasil há mais assassinatos que em toda a AMÉRICA DO NORTE + EUROPA + JAPÃO + OCEANIA.
- A guerra do Vietnã matou 50.000 pessoas em 7 anos. No Brasil se mata a mesma quantidade em um ano.
- Ano passado foram 50.177 segundo o governo, segundo a ONGs superam 63.000 mortes.
- Todo brasileiro conhece alguém que foi assassinado.
- 1% dos casos resultam em prisão.
- Este 1% não chega a cumprir 1/6 da pena, e é beneficiado por vantagens que se dão aos criminosos.
- As prisões parecem masmorras e não recuperam.
- Rebeliões com dezenas de mortos, pessoas decapitadas, esquartejadas são frequentes.
- Recomenda-se levar uma pequenas quantidade de dinheiro para caso de assaltos. É comum assassinarem as pessoas que nada tem para o assalto.
- Não leve o cartão consigo, você pode ser vítima de uma espécie de sequestro que só tem no Brasil: “Sequestro Relâmpago”.
- Não use relógios, máquinas fotográficas, celulares, pulseiras, brincos, colares, anéis, bolsas caras, bonés caros, óculos caros, tênis caro, etc… vista-se da forma mais simples possível.
- Se for assaltado, não reaja.
- Não ande pelas ruas após as 22hs.
- Caixas eletrônicos não funcionam após as 22h30, devido aos assaltos. Os políticos, no lugar de aumentar a segurança, tiveram a brilhante idéia de proibir o cidadão de bem de tirar dinheiro do caixa.
- Os bancos fecham as 15hs.
- Só faça câmbio em bancos ou casas autorizadas. Existe uma grande quantidade de moeda falsa e estrangeiros são alvo fácil.
- Policiais são monoglotas. Aprenda frases como: “Eu fui assaltado”; “preciso de ajuda”, “estou ferido”, “sou francês, leve-me ao consulado por favor”
- Há falsas blitz para assaltar pessoas.

CONCLUSÃO:
- O que falta no Brasil é educação. Os números são assustadores, mesmo quando comparados com seus vizinhos sulamericanos.
- O Brasil tem uma porcentagem de universitários menor que o Paraguai;
- Apenas 3% dos Brasileiros são bilingues.
- A Argentina tem 5 prêmios Nobel, a Colombia 3, o Chile 3, a Venezuela 1, a Colombia 4, o Brasil??? Zero!
- Entre as 300 melhores Universidades do mundo, não tem nenhuma Universidade Brasileira.
- O país tem 9% de analfabetos;
- No Brasil há 33.000.000 de analfabetos funcionais.
- Ano passado surgiram 300.000 novos analfabetos.
- No ranking da ONU de 2012 o Brasil, que já estava mal colocado, caiu mais 3 posições, e hoje é o número 88 no mundo. (A França é 5.)
- O Brasil fica atrás de Belize, Ilhas Fiji, Tchad, Azerbaijão, Ilhas Maurícios, Uzbequistão, Mongólia, Paraguai, Trinidad e Tobago, Belarus, Tijiquistão, Botswana, São Tomé e Príncipe, Namíbia, Santa Lúcia, Moldavia…. até atrás da Palestina em guerra, o Brasil conseguiu ficar.
- UMA VERGONHA INTERNACIONAL mas o brasileiro está muito feliz de ser pentacampeão de futebol.

Nos corredores da FIFA já se admite que foi o maior erro da história da Instituição eleger o Brasil como sede. O que se fala é que os dirigentes deveriam ter ouvido o grande Estadista Francês Charles de Gaulle, quando disse:

“O Brasil não é um país sério”


Fonte: retirado facebook

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Saidinha de Banco, proteja-se!

Como funciona
A “saidinha de banco” funciona da seguinte forma: Algumas pessoas conhecidas como “olheiros”, passam um bom tempo rondando estabelecimentos comerciais (Bancos, Casas Lotéricas etc). Nos bancos, muitas vezes, fingem realizar alguma operação bancária enquanto observam suas vítimas, e de dentro do banco, repassam as informações aos comparsas por celular, SMS etc. Os comparsas por sua vez, ficam do lado de fora, aguardando a saída da vítima. Salientamos que boa parte das vítimas são abordadas quando se encontram distantes da agência, ou seja, depois de ter sido seguidas na rua.

Dicas para evitar o golpe:

Dê preferência a transações eletrônicas (DOC, TED, transferências via telefone ou internet), evitando assim, efetuar saques de grandes valores em espécie.
 
Se precisar efetuar saques de valor alto, evite contar o dinheiro em locais visíveis. Caso haja necessidade, verifique com seu gerente se o estabelecimento possui salas reservadas para este fim, ou se o mesmo pode conseguir um local discreto para esta finalidade.
 
Se desloque ao banco sempre acompanhado e evite tecer comentários com pessoas estranhas, mesmo que as mesmas estejam bem trajadas.
 
Se perceber que está sendo observado por alguém dentro da agência, procure o gerente ou algum funcionário e redobre o cuidado, a vítima poderá ser você!
 
Se precisar ir ao banco diariamente, mude sempre os trajetos e os horários, e sempre desconfie de pessoas que passam muito tempo no banco sem buscar atendimento ou realizar alguma operação.
 
Quando da saída do banco, procure ser discreto e atento.
 
Caso perceba que está sendo seguido por alguém, entre o mais rápido possível em algum estabelecimento, de preferência movimentado e acione imediatamente a Polícia (190), se possível, informando ao atendente características do meliante, como cor, o que está trajando, se possui algum volume junto a cintura etc...Quanto mais detalhes você conseguir se lembrar, mais fácil será a identificação e abordagem do elemento pelos policiais. NÃO SAIA DO ESTABELECIMENTO antes da chegada da Polícia, uma vez que o meliante pode estar a espreita, esperando por você.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

17 conselhos errados que as pessoas dão

Seguir o coração pode ser uma roubada. Alma gêmea é algo tão crível quanto os deuses do Olimpo. Escolher a profissão que ama vira e mexe acaba em frustração. Conselhos desse tipo, comuns no amor, no trabalho e no cotidiano, não funcionam, pois não levam em conta como o cérebro e o corpo funcionam. Todos os dias disparamos e recebemos frases que prometem ser soluções simples e diretas para problemas e dilemas do dia a dia. "Pense positivo"? Sério? Para começar o ano novo bem de verdade, é melhor evitar aquele que costuma ser o primeiro erro: exagerar nas resoluções.
1. Vem chegando o verão, o ano novo e, com ele, aquela vontade de ser alguém melhor, mais equilibrado, centrado, saudável. E aí tome resoluções para cá e para lá. É normal. Faz parte do nosso ritual de réveillon. Mas esqueça isso. Quanto mais decisões desse tipo tomarmos ao mesmo tempo, menor vai ser a chance de que alguma delas dê certo. O psicólogo britânico Richard Wiseman acompanhou mais de 3 mil pessoas que fizeram resoluções de Ano-Novo. No início, 52% estavam confiantes de que teriam sucesso, mas, passado um ano, apenas 12% atingiram seus objetivos. Pare e pense na última vez em que você fez alguma resolução. Quantas deram certo? Quantas foram largadas no meio do caminho? Isso ocorre porque nossa força de vontade funciona como um músculo: ela pode ser exercitada para se fortalecer, mas, quando usada além do limite, entra em fadiga. E para provar nosso limite de autocontrole não faltam experimentos malucos. O pioneiro na área é Roy Baumeister, da Universidade Estadual da Flórida, Estados Unidos. Ele pegou dois grupos de estudantes com fome e os desafiou a resolver um quebra-cabeça. Ao primeiro grupo, o pesquisador exibiu um biscoito de chocolate. Ao segundo, nada. As pessoas do segundo time dedicaram 20 minutos ao quebra-cabeça. Os que foram atiçados desistiram em oito minutos. Em outra pesquisa, da Universidade Macquarie, da Austrália, observou-se que estudantes em época de provas fumam mais, param de se exercitar, dobram o consumo de cafeína, bebem mais álcool, gastam mais, comem mais porcaria, cuidam menos de sua higiene - e, em vez de estudar mais, procuram passar mais tempo com seus amigos. E aí, se identificou? A razão para isso, segundo Michael Inzlicht, da Universidade de Toronto, Canadá, está em uma estrutura cerebral chamada córtex cingulado anterior, envolvida na detecção de erros. Ela dá um alarme quando você faz algo diferente do que você pretende fazer. Quando esse sistema é usado demais, a capacidade de detectar erros se deteriora e você tem mais dificuldade em controlar as reações. Fica difícil se conter. Então esqueça aquele monte de promessas de réveillon, porque a lista enorme de metas não funciona. A não ser que você queira mais um ano novo empurrando problemas velhos com a barriga.

De cada 10 pessoas que fazem resolução de Ano-Novo, metade se sente confiante de que vai chegar lá. Mas só uma realmente consegue.


O caminho certo Quer que sua resolução funcione? Desista da lista enorme de promessas.
* Escolha uma meta de cada vez e procure começar imediatamente, em vez de deixá-la para segunda-feira - ou para 2014.

* Foque em metas específicas, mensuráveis e com prazo estabelecido. "Correr meia hora três vezes por semana" é melhor que "fazer atividades físicas".

* Não encare um deslize como fracasso. Se você fumou durante um encontro com amigos, você pisou na bola, mas não abortou o plano de largar o cigarro. Relaxe.


2. Não vá para a cama no primeiro encontro

Um estudo da Universidade de Iowa, EUA, avaliou 640 relacionamentos e concluiu que quem transou de cara era menos satisfeito que quem resolveu esperar. Mas, ao tirar do grupo os que não queriam nada muito sério no relacionamento, a diferença sumiu. Tanto fazia quando começou o sexo. A explicação, segundo Anthony Paik, autor do estudo, está nas intenções da pessoa. A única vantagem em aguardar é peneirar quem não está disposto a nada sério. Se ambos querem algo a mais, não há por que esperar. Porém, o problema de focar tanto em arranjar namorado é que a pessoa pode cair no nosso sexto conselho.

3. Procure sua alma gêmea

No início, os humanos tinham quatro pernas, quatro mãos, duas faces, quatro orelhas, dois órgãos sexuais e eram fortes como os deuses. Com receio que escalassem o céu para lutar contra eles, as divindades pensaram em exterminá-los. Mas, se fizessem isso, não restaria quem os idolatrasse. A solução foi, então, cortar os humanos em dois "como se faz com os linguados", escreveu Platão em O Banquete. Desde então, os humanos buscam sua alma gêmea, essa metade perdida. A bonita história da mitologia grega traz uma ideia tão errada quanto popular - a de que relacionamentos dão certo quando as pessoas são parecidas. Estudos identificam que, de fato, casais tendem a compartilhar certas características, como posição política, religião, condição social e valores. Mas talvez esses casais estejam juntos não porque têm muito em comum, mas porque se conheceram em ambientes onde certas características são compartilhadas, seja na igreja, faculdade, trabalho ou bar. Porém, em um mesmo grupo há pessoas com personalidades distintas, e mesmo assim elas podem se unir. A pergunta que vale, então, é outra. Pessoas de personalidades parecidas desenvolvem relacionamentos melhores? Alguns estudos concluem que sim. Outros dizem que os opostos se atraem. E outros explicam que pessoas parecidas se dão bem a curto prazo, pois se conectam com mais facilidade, mas não a longo prazo, já que personalidades diferentes dividiriam melhor tarefas e evitariam o tédio. Bem, estudo tem de monte. Mas um outro, da Universidade Humboldt, Alemanha, chama a atenção. Ele analisou cem casais e concluiu que a resposta não está no parceiro, mas na própria pessoa. Dos traços de personalidade, o que mais influiu foi sociabilidade, a disposição a cooperar e resolver problemas. Outro fator que conta é a qualidade da relação com amigos e parentes - gente satisfeita com aqueles próximos também tem um relacionamento melhor. Em suma: compatibilidade de amantes é algo superestimado. O que importa é como você é.

4. Não dê importância ao sexo

O amor nasce do desejo sexual, concluiu o psicólogo Jim Pfaus, da Universidade Concórdia, Canadá. Ao analisar a atividade cerebral de pessoas diante de imagens eróticas e de fotos dos parceiros, sua equipe viu que os sentimentos ativam áreas diferentes de uma região chamada corpo estriado. O desejo envolve uma parte ligada a estímulos instintivamente prazerosos. Já o amor ativa uma área que liga esse prazer a um estímulo. Em resumo, diz Pfaus, "amor é um hábito formado a partir do desejo sexual conforme ele é recompensado". O sexo alimenta o amor. Helen Fisher, antropóloga da Universidade de Rutgers, EUA, resume a história: "naso pasyo, maya basyo". É um dito popular do Nepal que quer dizer "pênis entrou, amor chegou". Sim, a versão nepalesa da famosa rima chula brasileira. E a queda do desejo? Se antes o amor envolve uma atividade intensa no mecanismo de recompensa, depois ele acalma. Quando essa atração louca diminui, vem o que Fisher chama de "ligação", sentimento mediado pelos hormônios vasopressina e ocitocina. Com o tempo, a importância do sexo cai. Mas não deixa de existir.

5. Siga o seu coração

No início de um relacionamento, os altos níveis do neurotransmissor dopamina, ligado ao prazer, fazem a atenção se focar nas características positivas da pessoa, ignorando as negativas. Isso é agravado pelo pensamento obsessivo causado pela queda de outra substância, a serotonina. O resultado, segundo Helen Fisher, é ânsia, compulsão, distorção da realidade, dependência física e emocional, mudança de personalidade e perda de autocontrole. Piração total. Queremos loucamente alguém sem entender exatamente quem ele é. Mas, como viver nas alturas consome tempo e energia demais para se dedicar a outras atividades, esse período de novidade passa - em sete meses, segundo Fisher, ou em pouco mais de dois anos, segundo Andreas Bartels, da University College de Londres. Com a paixão indo embora, a atenção se volta às incompatibilidades antes ignoradas. E aí podemos seguir o coração e buscar de novo aquele delicioso frio na barriga. Assim, seguir o coração pode levar a um ciclo de príncipes encantados que viram sapos. É por isso que todo mundo tem um conhecido que está sempre de namoro novo. Essa falta de pé no chão prejudica as chances de construir uma relação mais estável. Não que isso seja obrigatório. Longe disso. Veja mais abaixo.

6. Arrume um namorado

Há bons motivos para alguém evitar um relacionamento estável - sonhos mais individuais, estabilidade financeira antes de ter filhos etc. Isso não significa que tais pessoas sejam solitárias, como verificou um estudo da Universidade Cornell, EUA. Os pesquisadores pediram a 2,7 mil solteiros que avaliassem seu contato com pais e amigos. Após seis anos, repetiram a pergunta. Quem casou se distanciou da família e dos amigos. Estavam casados, tinham companhia, mas ao mesmo tempo se isolaram - o que não aconteceu com os solteiros. Outro estudo feito em seis países com pessoas de 65 anos concluiu que, enquanto homens solteiros de fato acabam com uma rede de apoio mais restrita que os casados, com as mulheres é o contrário. Sem marido ou filhos, solteiras se preparam ao longo da vida para evitar a solidão mantendo contato com parentes e amigos. Já as casadas se dedicam a marido e filhos, que nem sempre mantêm contato no futuro. Ser solteiro não significa ser solitário. Na verdade, muitas vezes pode ser o contrário.

7. Escolha uma profissão que você ame

Em 2005, Steve Jobs defendeu, em seu famoso discurso a formandos da Universidade Stanford, EUA, que eles fizessem algo que amassem. "Se não tiverem encontrado, continuem procurando", disse. Mas se o jovem Steve tivesse seguido seu próprio conselho, provavelmente acabaria como um dos melhores professores do centro espiritual Zen de Los Altos, afirma Cal Newport, autor do livro So Good They Can't Ignore You ("tão bom que não podem ignorá-lo", sem versão no Brasil). Na faculdade, seu interesse não eram os negócios nem a eletrônica, mas história e misticismo oriental. Em pouco tempo, Jobs abandonou os estudos, foi para um templo hare-krishna, fez retiro espiritual na Índia. Isso tudo influenciaria sua maneira de ver o mundo e de conduzir a Apple, claro, mas a empresa não brotou dessa sua paixão. Ela nasceu da sorte de montar com um amigo talentosíssimo, Steve Wozniak, um esquema de montagem de placas de circuito que funcionou e decolou graças ao estilo visionário e vendedor de Jobs. O fato é que, exceto o caso dos poucos que nasceram para a coisa certa, para os demais esse conselho não vale nada - e por vários motivos. Ainda que você admire uma profissão, isso não significa que tenha talento para ela, nem que na prática ela seja do jeito que você imagina ou que ela vá trazer boas oportunidades profissionais. Muitos agrônomos acabam atuando como vendedores de agrotóxicos, arquitetos fazem mais reforma do que projetos bacanas, fotógrafos registram mais imagens para cardápios do que para editoriais de moda, engenheiros não constroem nada além de planilhas. "O início de uma carreira fantástica pode não parecer nada fantástico", diz Newport. "Essa realidade bate de frente com um mundo fantasioso em que existe um trabalho perfeito, que você amará logo de início". Aí mora o problema. A busca pela paixão no que faz pode levar a uma desilusão precoce. Pulando fora cedo, não dá tempo para desenvolver habilidades e ficar bom naquilo. Sem se tornar bom, as chances de brotar uma possível paixão pelo trabalho vão pelo ralo.

8. Não fique com gente do trabalho

O caminho mais comum para começar um relacionamento é se apaixonar por um colega - seja de estudos, seja de trabalho -, concluiu uma pesquisa do psicólogo Ailton Amélio, da USP. E há boas razões para isso. Um relacionamento não amoroso permite conhecer melhor um futuro parceiro, seja para descobrir características que não se observam à primeira vista, seja para derrubar a fachada que pessoas criam para parecerem o par ideal. O convívio no trabalho ou na aula permite conhecer pessoas mais reais do que em uma festa.

ONDE SURGE O AMOR
Em que situações um casal se forma.

37% - lugares onde pessoas já se conheciam (escola, faculdade, trabalho, academia)
32% - intermédio de um conhecido em comum
20% - flertes com desconhecidos
6% - outras situações
4% - encontro acidental
1% - algum serviço de relacionamentos

Fonte: O Mapa do Amor, de Ailton Amélio


9. Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje


Trabalhar demais emburrece. Um estudo da University College London com mais de 2 mil funcionários públicos ingleses concluiu que, comparando testes de cognição feitos em um intervalo de cinco anos, pessoas que trabalham mais de 11 horas por dia tiveram uma queda maior de memória de curto e longo prazo, raciocínio abstrato, criatividade e solução de problemas em relação a quem segue uma jornada de oito horas. Uma razão para isso é que quem trabalha por muitas horas deixa de praticar outras atividades importantes para a saúde mental. Mas o que fazer se a carga de trabalho for muito grande? Bom, a resposta não está em quanto, mas em como se trabalha. Passar muitas horas na labuta não é sinônimo de produtividade. Pode ser, na verdade, o contrário. Workaholics trabalham mais não por produzirem mais e melhor, mas porque precisam de mais tempo para produzir a mesma coisa, seja por serem controladores que não conseguem trabalhar em equipe, seja por estabelecerem expectativas irreais. Isso, segundo o psicoterapeuta Bryan Robinson, autor de Chained to the Desk ("acorrentado à mesa", sem versão para o Brasil), é um tiro no pé. "Eles criam estresse e desgaste para si e para seus colegas, causando baixo estado de ânimo, falta de harmonia, conflito interpessoal, baixa produtividade, perda de criatividade e de cooperacão e absenteísmo por conta de doenças relacionadas ao estresse." Quem é viciado em trabalho já sentiu isso. O melhor, portanto, não é fazer tudo hoje, mas estabelecer prioridades, delegar tarefas - e não abrir mão de sua vida. Só assim você estará 100% amanhã.

AS QUATRO FACES DOS WORKAHOLICS
O implacável
Não sabe dizer "não". Assume mil responsabilidades sem conseguir priorizar o que importa nem delegar tarefas a outras pessoas. Com tanta coisa a fazer em pouco tempo, acaba deixando passar muitos erros.

O bulímico
Por ter autoestima baixa, cria expectativas altas demais de como devem ser seus resultados. Isso lhe dá medo de começar projetos e, quando começa, trabalha à exaustão, extremamente preocupado com o risco de cometer erros.

O desatento
Tem prazer com muitas ideias e, assim, começa uma imensidão de projetos. Porém, sente-se enfadado quando precisa levá-los adiante. Acaba fazendo tudo sem muito empenho, pensando em outras coisas.

O degustador
Detalhes o preocupam tanto que ele acaba paralisado, reescrevendo a mesma frase, rechecando algo. Como acha que ninguém será cuidadoso como ele, não consegue passar o bastão. E aí, você se identificou com algum perfil?

Fonte: Chained to the Desk, Bryan Robinson


10. Seja mais extrovertido

Você quer crescer na sua carreira, mas acha que é introvertido demais para ter um cargo de liderança? Balela. Embora esse tipo de vaga tenda a favorecer personalidades dominantes e expansivas, líderes extrovertidos têm uma fraqueza, segundo Adam Grant, professor de administração da Universidade da Pensilvânia, EUA. Em ambientes com funcionários que tomam mais iniciativa, eles se sentem ameaçados. Por isso tentam ser o centro das atenções e podem empurrar decisões goela abaixo. Já líderes introvertidos tendem a ouvir mais calmamente e a ser mais receptivos a sugestões quando o time sob sua responsabilidade é mais assertivo.

11. Não perca tempo com fofoca

Nem toda fofoca é maliciosa. Quando consiste em avisar sobre pessoas pouco confiáveis, ela promove a cooperação e desestimula o comportamento antissocial. Foi o que concluiu uma série de experimentos da Universidade de Berkeley, EUA, com 200 pessoas que participavam de jogos de cooperação envolvendo dinheiro. Quando um participante via outro jogando por interesse próprio, sentia-se frustrado e tinha os batimentos cardíacos acelerados. Ao compartilhar isso com outras pessoas no jogo, sua frustração diminuía e o batimento cardíaco desacelerava. E, de quebra, ele barrava estratégias egoístas no jogo. Ou seja, espalhar que há alguém fazendo algo errado diminui a ansiedade e melhora o sentimento de cooperação.

12. Curta o momento

Há uma razão simples para que sexta-feira seja mais legal do que domingo - às vezes esperar por alguma coisa é melhor do que experimentá-la. A razão básica é a dopamina (de novo ela). Quando recebemos o sinal de que acontecerá algo prazeroso, é liberada em nosso cérebro uma dose de dopamina - e assim sentimos prazer antes da recompensa. Feche os olhos e pense agora no Carnaval chegando. Ou em outra coisa que dê prazer, se você não for do Carnaval. Até aí, nada de novidade. Mas, segundo o neurocientista Robert Sapolsky, de Stanford, estudos com macacos mostram que a dose de dopamina atinge seu pico não quando há a certeza, mas quando há 50% de chance de que o sinal leve à recompensa. É a razão por que uma partida do Brasil contra o Japão é muito menos esperada do que uma contra a Espanha. Afinal, teoricamente, é mais difícil saber se ganharemos da Espanha do que do Japão. Melhor do que fazer é aguardar. E melhor do que aguardar é ter esperança. Torcedores que o digam.

13. Siga a sua intuição

A ideia que rendeu ao psicólogo Daniel Kahneman o prêmio Nobel de Economia em 2002 é simples: a mente funciona com dois sistemas, um intuitivo e outro racional. E, contrariando o senso comum, quem manda na maioria das nossas escolhas é a intuição. Isso porque, seja na savana africana, seja em uma metrópole moderna, precisamos tomar muitas decisões em muito pouco tempo. Se parássemos para pensar em cada problema, acabaríamos mortos - ou por um leão ou por um carro. Afinal, o raciocínio precisa de tempo e de informações que nem sempre estão à disposição - e em algumas situações não podemos apenas dizer "não sei". Já a intuição oferece respostas imediatas substituindo uma questão complexa pela associação mais próxima. O problema é que isso nos leva a erros crassos. Imaginemos Bruno, um homem tímido de 30 anos, organizado e detalhista. É mais provável que ele seja um camponês ou um bibliotecário? Se levarmos em conta que o Brasil tem mais de 5 milhões de estabelecimentos agrícolas e menos de 5 mil bibliotecas, a chance de ser camponês é bem maior, certo? Mas a intuição diz o contrário - afinal, as características de Bruno se encaixam perfeitamente no estereótipo de bibliotecários. Bom, na vida encaramos dilemas bem mais relevantes do que a profissão de Bruno - um pedido de demissão, outro de casamento, onde investir, o que vestir... Quando você estiver diante de uma questão importante, o melhor é deixar a intuição de lado e colocar a cabeça para funcionar. Porque ela é cega, burra e medrosa.

Os cinco tópicos do erro Por que a intuição pode passar a perna em nós.
1. Primeiras impressões
Por mais que se possa provar o contrário, elas ficam.

2. Estereótipos
A intuição se baliza por representações - se algo se encaixa no modelo de um grupo, logo é parte dele.

3. Emoções
Quando uma opção traz medo (como voar de avião), ela parece ser mais perigosa que uma alternativa de maior risco (como andar de carro).

4. Memória pessoal
Uma história bem contada é lembrada com mais facilidade, ainda que possa ser fictícia ou pouco comum.

5. Coincidências
Duas coisas que acontecem juntas parecem ter uma relação de causa e efeito, ainda que isso não seja verdade - tal como o frio e a gripe.


14. Pense positivo

Não precisa querer ser otimista - já somos inatamente predispostos a isso. Só para ter ideia, em uma pesquisa feita nos anos 80 com estudantes americanos, 93% se consideravam melhores motoristas do que a média - ainda que seja impossível que a maioria das pessoas seja melhor do que a maioria das pessoas. O problema é que nosso cérebro é bem seletivo na hora de aprender fatos - ele codifica as informações desejáveis, mas não as indesejáveis. Se ouvirmos falar do sucesso fortuito de Eike Batista, por exemplo, pensaremos que isso também pode acontecer conosco - ignorando que as condições que o levaram ao sucesso não são tão simplesmente reproduzíveis. Já quando vemos informações negativas como taxas de risco de câncer, divórcio e acidentes, não incorporamos essas informações - ou ao menos achamos que nosso risco é menor. Quem acha, de verdade, que pode sofrer um grave acidente a qualquer hora? A neurocientista Tali Sharot, da University College Londres, pediu para que voluntários estimassem qual o risco de passarem por uma série de eventos negativos - câncer, divórcio, demissão, pedra nos rins... Depois, deu-lhes as estatísticas reais e perguntou novamente qual o risco. Se uma pessoa respondesse que as chances de ter uma úlcera era de 25% e depois fosse informada que a estatística correta é de 13%, ela tenderia a se aproximar da realidade, atualizando o risco pessoal para algo como 15%. Já quem respondesse, por exemplo, 5%, aumentaria pouquíssimo o risco pessoal - ou simplesmente ignoraria a informação passada. Ao verificar imagens de ressonância magnética do cérebro dos participantes, Sharot viu que quando a realidade era melhor que a previsão, havia uma maior ativação de partes envolvidas no planejamento e análise de consequências futuras. Quando a realidade era pior, essa ativação era muito menor. Ou seja, aprendemos o que nos convém. Esse otimismo inato nos serve por razões simples - ele nos poupa de antecipar a dor e as dificuldades que o futuro pode trazer. Tudo maravilhoso. Mas há um problema. Isso nos faz subestimar nossos riscos e acabar tomando decisões imensamente tolas. Pessoas põem seu dinheiro em esquemas financeiros duvidosos e fazem sexo sem proteção, governos subdimensionam os gastos em projetos, e bancos fazem empréstimos sem ter a certeza de que pessoas sem renda e sem bens possam honrar suas dívidas. O que fazer então? Usar duas ferramentas com as quais evoluímos - otimismo e pessimismo, ao mesmo tempo. Ter um pé em cada um é o melhor para não cair em enrascadas.

Não se reprima
Não pense em sexo. Mas, se obedecer, provavelmente você vai pensar mais ainda. Isso porque, ao tentarmos controlar a mente, dois processos ocorrem ao mesmo tempo, segundo Daniel Wegner, da Universidade Harvard, EUA. O operacional, que segue a ordem, e o irônico, que inconscientemente checa se o operacional está funcionando. O problema é que o processo operacional é limitado. Se você estiver estressado, ele baixa a guarda e o irônico assume. E aí, pimba. Pensou em sexo, né?


15. Seja perseverante, você conseguirá

O mecanismo básico da motivação é o circuito de recompensas do nosso cérebro. Quando você tem uma expectativa e percebe no ambiente algum sinal de que conseguirá esse objetivo, há uma liberação do neurotransmissor dopamina, aquele que causa prazer. Já quando você espera algo e não recebe, o nível de dopamina cai tremendamente - o que dá uma tristeza forte, tal como quando você tem vontade de doces (ou de sexo, cigarro, aumento de salário, fuçar a vida de alguém no Facebook...), mas não tem nada disso por perto. Se você repetir para si mesmo "seja algo", o resultado será óbvio - frustração em cima de frustração. Você não virará chefe, não enriquecerá, não alcançará o que considera sucesso e acabará deprimido. O que fazer então? Estabeleça pequenos passos factíveis. A cada pequeno resultado conquistado, terá a dose necessária de motivação para dar o passo seguinte para um objetivo maior - e realista.

16. Para de se remoer

A resposta da depressão pode estar em Darwin, que não fazia nada em um a cada três dias desde a morte da filha. "Farei pouco mais que me contentar em admirar os avanços dos outros", disse em sua autobiografia. Não foi nada disso, o que se reflete na hipótese defendida pelo psiquiatra Andy Thompson e o psicólogo evolucionista Paul Andrews. Segundo eles, na maioria dos casos, depressão é uma resposta evolutiva engatilhada por um problema complexo, como perder a filha. Perde-se o prazer em trivialidades que possam atrapalhar um projeto maior. Em vez de incapacitar, o sofrimento acelerou sua pesquisa - e Darwin chegou à teoria da evolução. E ele não é um caso isolado. Escritores e artistas têm até dez vezes mais depressão que a população em geral, diz a Associação Americana de Psiquiatria.

17. Ouça meu conselho

Quer ajudar alguém a tomar a melhor decisão? Ofereça informações em vez de conselhos, concluiu um estudo da Universidade George Manson, EUA. Psicólogos testaram em centenas de estudantes quatro tipos de intervenções - conselhos a favor e contra uma opção, fornecimento de informações que contribuam para a escolha, e ajuda a encontrar meios para a decisão. Dessas estratégias, trazer informações novas foi considerado o melhor dos métodos. Isso porque o conselho tem um lado ruim - ele faz a pessoa sentir que perdeu um pouco de sua independência ao fazer a escolha. Já informações não só mantêm o senso de autonomia e aumentam a confiança na escolha própria como também trazem ajuda para decisões futuras na mesma área. Portanto, se for sair distribuindo conselhos por aí, dê também informações a respeito, como as dessas páginas. E, aí sim, feliz ano novo.

Para saber mais Willpower: Rediscovering the Greatest Human Strength
Roy Baumeister, Penguin Press 2011
Rápido e Devagar - Duas Formas de Pensar
Daniel Kahneman, Objetiva, 2012


Fonte: Revista Superinteressante

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Mitos e verdades sobre sexo

Tamanho é documento

Depende: De acordo com os especialistas, se o órgão sexual é muito pequeno ou muito grande, faz diferença. Segundo o diretor do Hospital CECMI, o urologista Arnaldo Cividanes, o tamanho médio do pênis do brasileiro é de 12 cm em estado flácido e de 15 cm a 20 cm ereto. “Muito abaixo de 15 cm pode gerar menos satisfação e muito acima dos 20 cm pode gerar desconforto”, comparou.

O ginecologista e sexólogo, chefe do setor de medicina sexual do hospital Mater Dei, Gerson Lopes, ressaltou que a relação sexual não se limita apenas ao encontro dos genitais e que a vagina tem capacidade de se adaptar ao tamanho do pênis. 


Dá para se chegar ao orgasmo com sexo anal

Verdade: “Em geral é difícil, porém em 30 anos de atendimento em sexologia, já ouvi relato de três mulheres que conseguiam orgasmo apenas pelo sexo anal e não pelo vaginal”, contou Lopes. De acordo com a coordenadora do programa de sexualidade na USP, Carmita Abdo, “algumas mulheres conseguem ter prazer orgástico com sexo anal, mas é mais comum com estimulação do clitóris”. “A maioria das mulheres que tem satisfação anal estão se masturbando também, estimulando o clitóris, ela ou o parceiro. Algumas podem ter orgasmo com o sexo anal apenas pelo movimento gerado na hora do ato”, complementou o ginecologista Eliano Pellini. 

Engolir esperma faz mal

Mito: O esperma é um conteúdo alcalino (não ácido) e não tem perigo em ser engolido, determinou Pellini. Assim como a mucosa da vagina, o estômago contém substâncias ácidas que balanceiam o líquido alcalino, explicou. “O esperma é formado de células, frutose e outras substâncias, portanto não haveria mal em ingeri-lo”, acrescentou Lopes. O urologista Cividanes lembrou, porém, que a ingestão pode fazer mal caso o parceiro esteja com alguma infecção genital. 

Ostras, amendoim e ovos de codorna aumentam a libido

Mito: Não existe qualquer ligação entre a ingestão destes alimentos e o aumento do desejo sexual, afirmaram os especialistas entrevistados pelo Terra. “São alimentos muito energéticos e calóricos, que acabaram ficando associados ao aumento do apetite”, esclareceu Carmita. Outra justificativa, segundo Pellini, é o formato destes alimentos, no caso da ostra, por exemplo, que pode se assemelhar ao órgão sexual feminino. “Romã, figo e maçã dão a sensação da genitália feminina, se cotadas ao meio”, disse o ginecologista. 

Sexo na água diminui a chance de engravidar

Mito: “Se o homem ejacular dentro da vagina, estar na água não evita gravidez”, disse Cividanes. “A água não vai entrar na vagina e matar os espermatozoides”, acrescentou. No entanto, caso o pênis saia da vagina no momento da ejaculação, o esperma pode ficar diluído com a água. 

Se masturbar demais pode deixar a mão peluda

Mito: “Coincidem na puberdade o aparecimento de pelos com a prática maior da masturbação”, disse o ginecologista e sexólogo Gerson Lopes, mas os dois acontecimentos não estão relacionados. “É um mito muito antigo que não procede”, completou Carmita. 

Tomar anticoncepcional diminui o desejo sexual

Verdade: Não é usual, mas “em alguns casos, sim. Fica na dependência do tipo de anticoncepcional e da individualidade”, disse Lopes. “Depende da composição da pílula, algumas podem conter doses hormonais que inibem o desejo sexual”, afirmou Carmita. Os medicamentos mais modernos, no entanto, têm doses muito pequenas de hormônio e interferem pouco na libido, de acordo com Cividanes. Apesar disso, a presidente da Comissão Nacional Especializada em Sexologia da Febrasgo, Sylvia Maria da Cunha Cavalcanti, disse que: “existem estudos que apontam evidências que em algumas usuárias de anticoncepcional oral de baixa dosagem este efeito pode ser observado”. 

Sexo na gravidez machuca o bebê

Mito: “O bebê fica dentro de uma bolsa amniótica que o protege além do colo do útero”, disse Lopes. Segundo Cividanes, não há como machucar a criança durante o sexo a não ser com um trauma abdominal. “O homem não vai ficar com o peso sobre a mulher, é ideal tentar posições que não tenha muito contato com o abdômen dela”, alertou. Porém, após o oitavo mês de gravidez, o desconforto da mulher é muito grande e é preciso tomar cuidado com movimentos muito bruscos e tombos para não precipitar o trabalho de parto, segundo Carmita. “Em gravidez de risco, é preciso consultar o médico”, lembrou. 

É possível quebrar o pênis durante a relação

Verdade: O caso mais recente é o do lutador de MMA, Ray Elbe, que fraturou o pênis durante relação sexual com a parceira. “Existe uma posição particular responsável por 90% dos casos: o homem deitado e a mulher por cima dele virada na direção dos pés do homem”, disse o urologista membro da Sociedade Brasileira de Urologia, Adalberto Andriolo Jr. O pênis é formado por duas estruturas cavernosas, envolvidas por uma membrana elástica chamada albugínea, que se dilata de sangue durante a ereção. “Quando ocorre o rompimento dessas paredes, o sangue vaza para dentro do pênis, que fica com um tom arroxeado”, afirmou Cividanes. 

Filho pode ter problemas de saúde se os pais forem irmãos ou primos

Verdade: O urologista Cividanes explicou que a geração de um filho entre parentes de primeiro grau pode causar efeitos negativos de formação por “consanguinidade”, mas não é uma regra. “Não é uma combinação genética recomendada, entre pessoas da mesma família. Quanto mais diversificação dos genes houver, mais forte e saudável será a criança”, explicou Carmita. “Se existir alguma doença hereditária na família, a chance dela se repetir é maior”, complementou Sylvia. 
 

Fazer xixi depois da relação evita infecção urinária

Verdade: “Evitar ficar muito tempo com a urina retida é uma forma de diminuir a possibilidade de ter uma Infecção do Trato Urinário”, destacou Sylvia. “É muito importante que se faça esta limpeza mecânica da uretra, tanto para mulher como para o homem após o sexo”, aconselhou Cividanes. Durante a relação sexual, pode acontecer o acúmulo de germes na entrada da uretra que, se não forem eliminados, entrarão no canal e causarão infecção. Urinar e depois lavar a região é uma forma de prevenção, explicou. “Tenha sempre relação sexual com um pouco de urina na bexiga e vá ao banheiro logo depois. Ter relação sexual e dormir em seguida, sem fazer a higienização, potencializa os riscos de contaminação”, avisou o urologista. 

Sexo anal causa hemorroida

Mito: A prática não causa o inchaço das veias ao redor do ânus, mas pode acentuar um quadro já existente. De acordo com Cividanes, a penetração anal pode deixar o ânus mais “flácido”, mas não prejudica enquanto a esfíncter – musculatura que segura as fezes - estiver preservada. A hemorroida, segundo o urologista, é causada pelos hábitos da pessoa, por exemplo, alimentação inadequada que resseca as fezes e dificulta a evacuação. 

É possível engravidar sem penetração

Verdade: “Ao ejacular entre as coxas e a mulher estando fértil, o muco cervical pode facilitar a ascendência do espermatozoide”, disse Lopes. Carmita concordou: “é possível. Muitas vezes, quando o esperma está na borda da vagina, pode ser absorvido pelo tecido vaginal e subir o canal. É raro, mas a chance não é nula”. 

Lavar a vagina após a relação pode evitar gravidez

Verdade: Existe a possibilidade, mas não é garantida, segundo os especialistas. No passado, segundo Cividanes, as prostitutas usavam uma bombinha de borracha para lavar o canal vaginal. “Elas agachavam de cócoras, enchiam a perinha de água e borrifavam dentro da vagina. Assim ela consegue tirar os espermatozoides que estão no canal”, explicou o urologista. “Se a mulher termina a relação e corre para o chuveirinho, dilui o esperma”, confirmou Carmita. Mas o procedimento não tem alcance tão profundo, é o que afirmou Lopes: “os espermatozoides que vão ascender até a trompa para o encontro do óvulo não vão nem ‘escutar’ o barulho da água”. 

Sexo durante a menstruação não engravida

Mito: A maioria das mulheres tem chance zero de engravidar durante a menstruação, mas, apesar de difícil, pode ocorrer ovulação durante a menstruação, disse Cividanes. “O fato de a mulher ter menstruado há alguns dias significa que ela está em uma fase do ciclo onde a gravidez é improvável, mas se ela não for regulada pode ter ovulação durante a menstruação e engravidar”, explicou Carmita. Lopes lembrou ainda que há sangramentos confundidos com a menstruação. 

O quadril da mulher fica mais largo após a primeira relação sexual

Mito: O que acontece, na verdade, é que a mulher costuma ter a primeira relação sexual durante a “explosão” hormonal, quando seu corpo está formando curvas de uma estrutura adulta, explicou Carmita. “Nesta mudança de fase, existe mais depósito de gordura os seios e quadris. A menina fica com formas mais arredondadas”, completou. 

Ficar com as pernas pra cima após a relação pode ajudar a engravidar

Verdade: Pode facilitar a chegada dos espermatozoides ao colo do útero, segundo Cividanes. Não é uma regra, segundo Carmita, tudo vai depender da fertilidade feminina e da qualidade do esperma do parceiro. “Logicamente que, por outro lado, ela termina a relação sexual e para o chuveirinho pode atrapalhar o processo”, disse. A indicação médica é dada a pacientes muito agitadas e com facilidade em perder o sêmen depositado pelo homem por começarem outras atividades logo depois do coito, disse a médica. Sylvia lembrou que “alguns estereleutas (especialista que cuida da infertilidade humana) aconselham esta prática, mas não há evidências científicas”. Como dica para quem quer engravidar, Cividanes disse que além de a mulher permanecer tranquila após a ejaculação, o “homem não pode tirar o pênis rapidamente, pois fará uma espécie de sucção. Ele precisa esperar amolecer um pouco e tirar com calma”. 

Mãos e pés grandes tem relação com o tamanho do pênis

Mito: Não existe qualquer relação, segundo os especialistas, e está crença não passa de uma lenda. “Para as mãos e os pés existem genes independentes que os determinam, assim como para o pênis”, disse Lopes. 

Descendentes de negros têm pênis maiores e de japoneses, menores

Mito: Estatisticamente esta realidade é observada, mas não é uma regra, de acordo com os especialistas. “Isso se verifica, mas não significa que não podem existir homens na qualidade inversa. Pode existir um japonês com pênis bastante avantajado e um negro com o pênis pequeno”, esclareceu Carmita. Segundo ela, é uma característica racial e o termo “pequeno” é usado em relação ao tamanho avantajado, pois é dentro da normalidade. 

Mulheres sentem mais prazer quando estão menstruadas

Verdade: Não há comprovação científica, mas, de acordo com Carmita, elas se sentem mais seguras de não engravidar e ficam mais à vontade. Esta é a mesma conclusão, com base no relato de pacientes, do ginecologista Gerson Lopes. No entanto, “em termos fisiológicos, o momento de maior disposição para o sexo seria durante a ovulação, na metade do ciclo entre as duas menstruações”, completou Carmita. 

Mulheres ficam com desejo sexual com estimulantes sexuais

Mito: O medicamento não “cria” desejo ou apetite sexual, afirmaram os entrevistados. “Pode melhorar apenas a lubrificação e não a excitação mental”, definiu Lopes. “Ele (o medicamento) favorece as manifestações de excitação na mulher, a lubrificação e o relaxamento da musculatura da vagina, mas não é afrodisíaco”, complementou Carmita. 

Coito interrompido evita gravidez

Mito: O método é falho, definiram os especialistas. Carmita explicou que, por vezes, o homem não consegue de fato interromper a relação antes de uma pequena quantidade de esperma tenha sido ejaculada. Os espermatozoides colocados dentro da vagina podem provocar a gravidez. 

O ponto G realmente existe

Mito: “Não existe comprovação científica, nenhum estudo conseguiu provar de fato”, disse Sylvia. Segundo Carmita, é comprovada a existência de um ponto mais sensível na vagina da mulher, com localização diferente e individual. “Toda genitália tem um ponto onde convergem terminações nervosas e sensitivas e este local seria o de mais estímulo”, descreveu Carmita. A dica, segundo a ginecologista é que a mulher descubra região e conte ao parceiro. 

O orgasmo no clitóris e na vagina é o mesmo

Verdade: “O orgasmo é desencadeado no clitóris e sentido na vagina”, disse Sylvia. “Há um orgasmo único: central, onde o clitóris é importante como gatilho. Existem sim mulheres que conseguem orgasmo pelo coito, sem a necessidade de estímulo direto ao clitóris (oral, manual ou vibrador). Trata-se de uma minoria, 20%”, explicou Lopes. 

Toda mulher pode ter orgasmos múltiplos

Mito: “Não, apenas 10% das mulheres apresentam”, estimou Lopes. “Teoricamente toda mulher pode ter, embora na prática isso seja raro”, reforçou Sylvia. Carmita explicou que o tema é polêmico, pois enquanto algumas mulheres ao longo do ato sexual chegam ao clímax, outras acabam sentindo picos sucessivos de prazer, o que chamam de orgasmo múltiplo. 

A mulher pode ejacular

Verdade: “Algumas mulheres durante o orgasmo ejaculam, mas não há explicação científica para o fato”, afirmou Lopes. Carmita costuma escutar relatos de pacientes que têm perda significativa de líquido quando estão excitadas e chegam ao clímax. “Isso ocorre em 10% das mulheres”, estimou. 

A mulher atinge o orgasmo mais facilmente quando está por cima

Verdade: Isso acontece, pois o clitóris é mais estimulado nesta posição, segundo Lopes. No entanto, a posição não é unânime, o que importa, de acordo com Carmita, é o estimulo do clitóris, “que ele esteja roçando em alguma parte do corpo do parceiro enquanto ocorre a penetração”, esclareceu. 

Chegar ao orgasmo durante a relação aumenta as chances de engravidar de menino

Mito: Não existe prova de relação entre o clímax e o sexo do bebê, segundo os especialistas. “O PH da vagina estaria mais ligado aos espermatozoides XY ou XX chegarem aos óvulos. Existem outros fatores como o dia da relação e o perfil do sêmen que também interferem”, explicou Carmita. 

O homem pode chegar ao orgasmo sem ejacular

Verdade: “No tantrismo, o homem aprende a gozar sem ejacular. Existem também homens com distúrbios ejaculatórios que apresentam orgasmo sem exteriorizar a ejaculação”, justificou Lopes. Outro caso é quando o homem tirou a próstata: “ele mantém a capacidade de chegar ao orgasmo, mas não ejacula mais”, disse Carmita. 

Fonte: http://www.terra.com.br

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Chegou o verão


Verão também é sinônimo de pouca roupa e muito chifre, pouca cintura
e muita gordura, pouco trabalho e muita micose.

Verão é picolé de Kisuco no palito reciclado, é milho cozido na água da torneira, é coco verde aberto pra comer a gosminha branca.

Verão é prisão de ventre de uma semana e pé inchado que não entra no
tênis.

Mas o principal ponto do verão é.... A praia!

Ah, como é bela a praia.

Os cachorros fazem cocô e as crianças pegam pra fazer coleção.

Os casais jogam frescobol e acertam a bolinha na cabeça das véias.

Os jovens de jet ski atropelam os surfistas, que por sua vez, miram a
prancha pra abrir a cabeça dos banhistas.

O melhor programa pra quem vai à praia é chegar bem cedo, antes do
sorveteiro, quando o sol ainda está fraco e as famílias estão chegando.

Muito bonito ver aquelas pessoas carregando vinte cadeiras, três
geladeiras de isopor, cinco guarda-sóis, raquete, frango, farofa,
toalha, bola, balde, chapéu e prancha, acreditando que estão de
férias.

Em menos de cinqüenta minutos, todos já estão instalados, besuntados
e prontos pra enterrar a avó na areia.

E as crianças? Ah, que gracinhas! Os bebês chorando de desidratação,
as crianças pequenas se socando por uma conchinha do mar, os
adolescentes ouvindo walkman enquanto dormem.

As mulheres também têm muita diversão na praia, como buscar o filho
afogado e caminhar vinte quilômetros pra encontrar o outro pé do
chinelo.

Já os homens ficam com as tarefas mais chatas, como furar a areia pra
fincar o cabo do guarda-sol.

É mais fácil achar petróleo do que conseguir fazer o guarda-sol ficar
em pé.

Mas tudo isso não conta, diante da alegria, da felicidade, da maravilha que é entrar no mar!

Aquela água tão cristalina, que dá pra ver os cardumes de latinha de
cerveja no fundo.

Aquela sensação de boiar na salmoura como um pepino em conserva.

Depois de um belo banho de mar, com o rego cheio de sal e a periquita
cheia de areia, vem àquela vontade de fritar na chapa.

A gente abre a esteira velha, com o cheiro de velório de bode, bota o
chapéu, os óculos escuros e puxa um ronco bacaninha.

Isso é paz, isso é amor, isso é o absurdo do calor!!!!!

Mas, claro, tudo tem seu lado bom.

E à noite o sol vai embora.

Todo mundo volta pra casa tostado e vermelho como mortadela, toma
banho e deixa o sabonete cheio de areia pro próximo.

O shampoo acaba e a gente acaba lavando a cabeça com qualquer coisa,
desde creme de barbear até desinfetante de privada.

As toalhas, com aquele cheirinho de mofo que só a casa da praia oferece.

Aí, uma bela macarronada pra entupir o bucho e uma dormidinha na rede
pra adquirir um bom torcicolo e ralar as costas queimadas.

O dia termina com uma boa rodada de tranca e uma briga em família.

Todo mundo vai dormir bêbado e emburrado, babando na fronha e torcendo, pra que na manhã seguinte, faça aquele sol e todo mundo possa se encontrar no mesmo inferno tropical... 


Luís Fernando Veríssimo