segunda-feira, 3 de junho de 2013

Motivos para extinguir o dia dos namorados

Nas palavras abaixo, exponho doze argumentos favoráveis à abolição do Dia dos Namorados. No momento em que você estiver lendo este post, já contarei com proteção policial. Se você se encaixa na categoria difamada e se sente ofendido (a), nem pense em retaliações ou atentados. Você não tem condições necessárias de planejar e executar algo eficiente. Uma almofada em forma de coração serve como presente de namoro, mas infelizmente não tem o mesmo poder de fogo que uma Calibre 12 com cano fumegante. Traga sua razão de volta e reflita sobre os motivos apresentados abaixo.
Motivo 1: economia. No dia dos namorados, as floriculturas jogam o preço de seus produtos lá para o alto. Tudo culpa da demanda absurda. Espero que as flores nunca entrem no cálculo da inflação. Não haverá ministro de Fazenda que vá resistir no cargo.
Motivo 2: segurança. Sabe que aquele seu vizinho que não se contenta em compensar todas as mancadas do namoro com um simples jantar à luz de, digamos, duas velas? Tome cuidado se ele quiser fazer um coração na sala...com duzentas velas! O fogo dos apaixonados pode queimar sua casa literalmente.
Motivo 3: dignidade. Já parou para ver e ouvir as palavras que os enamorados preparam para derreter corações? É de causar náuseas. E não me venha com esse papo de sinceridade. Chamar a amada de chuchuzinho, tetéia ou algo do gênero é patético e deveria ser proibido. Onde está a Convenção de Direitos Humanos de Genebra quando mais precisamos dela?
Motivo 4: naturalidade. Casal de namorados passa metade do tempo sorrindo – a outra metade é brigando, é claro. Às vezes lembram que é importante respirar. Nada contra sorrisos. Mas tudo contra sorrisos afetados, artificiais e banais. A afetação é tanta que tudo é motivo pra sorrir. E de vulgar, já basta a tevê aberta.
Motivo 5: responsabilidade. Como é que vou cumprir meus compromissos no dia 13 de junho se tenho que consolar o amigo que não conseguiu reatar o namoro, abrigar o maluco que resolveu fazer um coração com velas e incendiou a casa, pagar a fiança do inconseqüente que foi preso por se declarar à amada com uma banda de heavy metal às três da madrugada e ir ao enterro do depressivo que não suportou passar outro ano sozinho?
Motivo 6: saúde. Fumaça de vela causa câncer nasal. Flores liberam substâncias alucinógenas. Declarações patéticas provocam ataques de histeria incuráveis. Excesso de sorrisos deforma o rosto com mais rapidez e não há plástica que resolva.
Motivo 7: ecologia. O sistema público de limpeza não dá conta de recolher tanto lixo no dia seguinte. O papel do embrulho leva de 3 a 6 meses para se decompor. O plástico dos pacotes, cem anos. O vidro da garrafa de vinho, 1 milhão de anos. O tempo de decomposição do papel com declarações é impossível de estimar. O que é ruim dificilmente morre.
Motivo 8: comunicação. Já parou para reparar que os casais têm um vocabulário próprio, mais bizarro do que qualquer língua que possa surgir? No dia dos namorados, nem adianta puxar papo com pessoas comprometidas. A não ser que leve um tradutor ou um dicionário. Ah, aprenda rapidamente a gritar “sua casa está pegando fogo!” em namorês. Talvez seja necessário.
Motivo 9: filme. Comédia romântica-bobinha-com-açúcar-e-final-feliz na tevê? Com a mais nova queridinha de Hollywood? Meu deus, a tevê consegue ser mais vulgar do que eu imaginava! A Convenção de Genebra realmente é uma falácia.
Motivo 10: desenvolvimento humano. Namorar é a arte de inventar mentiras. Poupe sua criatividade para coisas mais úteis. Como aprender a fazer um “gato” com o fio da tevê a cabo do vizinho e ver o documentário “Namoro: um entrave ao progresso da humanidade” ou “Apague um incêndio apenas com um copo d’água”.
Motivo 11: música. O pior não é ter de agüentar as divas com seus falsetes e infinitas canções sobre o amor. O pior mesmo é ouvir as interpretações de seus fãs. E pensar que só heavy metal dá cadeia. Incompreensível.
Motivo 12: existencialismo. Um terço da humanidade passa o Dia dos Namorados alienado e outro terço fica chorando porque não consegue estar na mesma situação (não me peça para entender isso). A parte que resta lê textos como este para escapar da maldição do relacionamento e não depender de outra pessoa para ser feliz. Muitos já falharam nessa missão. Por eles, nenhum minuto de silêncio, por favor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário